Um dos efeitos colaterais mais frequente em pacientes submetidos à cirurgia de reparação do buraco macular é o desenvolvimento de catarata. Por isso, já há algum tempo, especialistas indicam a realização conjunta dos dois procedimentos cirúrgicos para correção das doenças.

Agora, o tratamento do buraco na mácula combinado com o de catarata recebeu aprovação científica após estudo da Universidade de São Paulo (USP), de Ribeirão Preto (SP), comprovar a eficácia da técnica.

Em seguida, entenda mais sobre a pesquisa, os resultados e quais os benefícios dessa autorização para médicos, instituições de saúde, SUS e para o paciente.

 

A pesquisa

 

Os pesquisadores dividiram 65 pacientes com buraco macular em dois grupos. O primeiro, com 33 pessoas, passou pela cirurgia combinada entre as duas técnicas. Já a outra turma, com 32 pacientes, fez o procedimento de correção da catarata posteriormente.

O estudo é o primeiro prospectivo do mundo a avaliar a junção das duas cirurgias em uma única intervenção.

 

Resultados

 

De todos os pacientes submetidos apenas à cirurgia de correção da mácula, 27 desenvolveram catarata em seguida. Com isso, precisaram de nova operação em menos de um ano. De modo geral, seis meses após o procedimento, apresentaram significativa piora na visão.

Já os pacientes do primeiro grupo tiveram uma melhora de acuidade visual semelhante aos que fizeram a cirurgia sequencial.

Com isso, os resultados demonstram a eficácia da junção das técnicas em um único procedimento.

 

Benefícios

 

Na maioria dos casos, o surgimento da catarata ocorre apenas alguns meses após a cirurgia da mácula. Por isso, o procedimento único, combinando as duas técnicas, apresenta diversas vantagens para médicos, hospitais, SUS e também para o paciente.

Dentre elas, podemos destacar o oferecimento de um tratamento mais seguro, a redução de custos e de tempo e o menor sofrimento do paciente.

 

Acompanhe as principais novidades da área de saúde no blog da Phelcom.

 

Inscreva-se